Brasilgamer.com.br

Digital Foundry: Testamos o PS4 Slim

Primeiras impressões: melhor do que o atual PS4 em quase tudo.

O PlayStation 4 Slim - nome de código CUH-2000 - segue a tradição da Sony de apresentar consoles de segunda geração de excelente qualidade. O novo console consome menos energia, gera menos calor e menos ruido. Quanto ao seu aspecto? Vamos dizer que as fotos não lhe fazem justiça. Com apenas uma exceção, nada indica que a Sony tivesse lutado para apresentar este produto com um orçamento específico. Ainda sentimos que tem aquilo pelo qual pagou: tem um aspecto sólido, e a qualidade de fábrica está similar da dos modelos existentes.

Vamos falar da estética. A qualidade questionável das primeiras fotos não lhe fazem nenhum favor. Os plásticos mate são iguais aos da carcaça do PS4, e o acabamento é tão bom e o design geral está cheio de belos toques. No fundo temos os símbolos PlayStation, algo que já foi muito falado.

Além da sua presença no fundo, os símbolos PlayStation também foram introduzidos num dos lados do console, enquanto no outro temos os logos HDMI, DTS, Dolby e Blu-ray - nos dizendo que sim, é um console 1080p e não 4K. O PS4 Slim oferece poucas novidades e o streaming a 4K está limitado ao modelo Pro, mais caro.

Existem outros belos toques - o novo DualShock 4, modelo CUH-ZCT2E, recebeu uma pequena remodelação: os analógicos, gatilhos e d-pad têm uma cor cinza que contrasta bem com o acabamento preto do restante do controle. O painel tátil tem uma linha horizontal no topo, permitindo à luz de LED RGB brilhar - não precisa virar o controle para ver a cor, apenas olhar para baixo.

Agora também pode escolher entre ligações Bluetooth e USB quando o controle está ligado pelo cabo, o que na teoria deverá recuperar os milisegundos de latência. Na prática, será difícil ver a diferença. Esta funcionalidade é parte do novo controle e não do console. Liguem o controle a um PS4 velho e terá a mesma opção.

Testamos o novo PlayStation 4 CUH-2000 - e é fantástico. Eis um vídeo extenso sobre as principais funcionalidades e melhorias.

Cortes, coisas estranhas ou oportunidades perdidas? Bem, ficamos desiludidos por termos apenas duas entradas USB 3.0 na frente do console, e é curioso ver o espaço entre as duas (talvez faça sentido quando tivermos o processador externo do PlayStation VR). Segundo, sim a saída Toslink SPDIF digital na traseira foi removida. Verifiquem nas definições de Saída de áudio do console, e sem surpresa, essa opção desapareceu.

Em termos do software do sistema, o PS4 atualiza-se para a mais recente versão e é igual ao PS4 normal - apenas com uma exceção. Nas Definições de Rede, a nova unidade especifica a velocidade da rede a que está ligado - algo que não acontece no original. É uma área onde temos melhorias - todo o tipo de WiFi 5GHz é suportado agora.

Tal como nos modelos existentes, também podemos colocar um disco maior se quiser - mas parece que a Sony mudou de fornecedor. A unidade que vimos tinha um disco 500GB Toshiba MQ01ABD050 2.5, confirmado como um disco 5400rpm. No entanto, a forma de acessar ao disco mudou. Uma peça de plástico em forma de L pode ser removida da lateral do console e aí podem remover o parafuso para tirar o suporte. Existe até um laço metálico em torno do suporte para facilitar a remoção.

Até agora, tudo bem. Temos uma unidade que é essencialmente idêntica em termos de funcionalidades, com alguns belos toques no design - e com WiFi 5GHz, algo que procurávamos no PS4. A falta de uma saída ótica é doloroso para quem quiser ligar em um equipamento mais antigo, mas talvez ainda mais para donos de headsets gaming. O atual headset da Sony usa um dispositivo USB por isso funciona bem (algo que vale a pena ter em conta para o PS VR). O aspecto do console pode ser um motivo de discussão, mas também o foi mencionado quando o console original foi revelado.

O novo Slim apresenta várias melhorias sobre o atual, especialmente na eficiência do consumo de energia, o que vai agradar às massas. O PS4 Slim usa a tecnologia de fábrica FinFET no seu processador (design manufaturado a 16nm pela TSMC quase certamente). Isto significa uma unidade mais fria e com menos ruido. Aqui comparamos o Slim contra a unidade de lançamento e a unidade C, mas devemos dizer que as condições deste acesso foram diferentes em termos de ambiente de teste. No entanto, a tendência dos resultados é óbvia - e as notícias são muito boas.

Fizemos os mesmos testes usados para avaliar a CUH-1200. um jogo de 4x4 em Rocket League cria um ruído incrível na unidade de lançamento, enquanto na unidade C temos melhorias, mas o Slim vai a outro nível: temos uma redução de 52% no consumo de energia comparado com o modelo original e 37% comparado com o CUH-1200 (nota: executamos novamente os testes CUH-1000/1200 após o vídeo acima e notamos uma pequena redução no consumo no console mais velho, refletido nos resultados abaixo). O ruído foi bastante reduzido - oito decibéis mais silencioso que o PS4 C e com uma redução de 20dB (!) comparado com o original. Conclusão - o PS4 Slim rodou Rocket League praticamente sem ruído comparado com a ventoinha a todo o gás no console mais velho.

Existem limites na natureza discreta do PS4 Slim. O drive Blu-ray continua com muito ruido ao instalar um jogo, e apesar da solução térmica ser mais silenciosa, existem situações em que as ventoinhas começam a girar como loucas. É o que acontece em Assassin's Creed Unity. O consumo de energia desce cerca de 44% comparado com o modelo original e 23% comparado com o CUH-1200, mas mesmo deixando o jogo somente no menu, com o disco ativo, tivemos um ruído idêntico ao dos testes com o modelo C.

PlayStation 4 Consumo máximo/Ruído (Watts/Decibéis) CUH-1000 Consumo máximo (Watts) CUH-1200 Consumo máximo (Watts) CUH-2000 Consumo máximo (Watts) CUH-1000 Ruído (Decibéis) CUH-1200 Ruído (Decibéis) CUH-2000 Ruído (Decibéis)
PS4 Menu (Online) 80.1 65.6 47.0 44.0 42.2 41.0
Rocket League 4v4 em Mannsfield 130 100 63.0 63.7 51.2 43.2
AC Unity - Tela principal (disco rodando) 130 112 86 64.5 55.2 55.0

Só depois de termos uma versão final de venda é que poderemos encontrar diferenças na performance (não esperamos encontrar nenhuma). Neste momento temos uma amostra da performance do Slim que nos diz algumas coisas - a revisão na carcaça é baseada num processador menor e existe uma clara economia de energia e redução de ruído. Depois do teste com Assassin's Creed Unity testamos a temperatura da carcaça e estava a 38 graus Celsius - menos seis graus que a unidade de lançamento, e menos sete graus que o modelo CUH-1200. Por enquanto podemos dizer que a máquina oferece várias vantagens sobre a atual - mas infelizmente, um drive BD com menos ruido não parece ser uma delas.

Comum a muitos, inicialmente fiquei desanimado com o aspecto do console quando vi as primeiras fotos, parecendo uma versão achatada e arredondada do original. No entanto, ao vivo é muito mais apelativo e quando tem em conta os benefícios adicionais, o novo PS4 Slim é impressionante. E é pequeno. Muito pequeno. As suas medidas são 26.5cm x 26.5cm x 3.8cm - contra 27.5cm x 30cm x 5.3cm do original. As medidas aqui sugerem que, como o Xbox One S, o PS4 Slim é cerca de 40% menor.

No geral, tivemos pouco tempo com o console e estamos ansiosos para estudar os resultados quando tivermos um no escritório, mas o futuro é promissor. O console é menor e discreto, sem qualquer tipo de compromisso. A questão será a escolha entre o PlayStation 4 Slim e o existente? Baseado nas horas que passamos com o novo console, o PS4 Slim é o vencedor. Corrige os pontos mais fracos do atual PS4 - o ruído: parece muito mais silencioso em muitos casos. Nos testes que fizemos com conteúdo digital (sem ruído do drive BD), está similar ao do Xbox One original e um pouquinho mais silencioso que o Xbox One S. Teremos mais dados assim que tivermos um console nas mãos, mas por enquanto, ficamos impressionados.

Comentários (13)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela sua contribuição!

  • Carregando...