Brasilgamer.com.br

O que deu errado com Mighty No. 9?

A Digital Foundry fala sobre os erros e problemas de performance no PS4 e Xbox One.

Mighty No. 9 não devia dar problemas ao Xbox One e PlayStation 4. É um side-scroller simplista baseado no Unreal Engine 3 e apesar das suas origens humildes como um projeto no Kickstarter, devia ser um trabalho fácil para Keiji Inafune e a sua equipe no Comcept. Como sucessor espiritual de Mega Man, esperávamos sólidos 60fps, um desafio firme, mas justo e algo perto do estilo visual original. O que temos é algo muito inferior.

Visualmente, temos uma mudança indesejada desse conceito inicial. O modelo de iluminação mudou e temos algo que tenta recriar uma espécie de desenho animado de Sábado de manhã. A introdução de mais cor é bem-vinda, mas o detalhe de fundo é muito rápido - composto por vegetação 2D, geometria cortada e texturas de baixa resolução. É uma mudança enorme feita talvez pensando em todas as plataformas, que incluem o PS3, Xbox 360 e Wii U - sem falar no 3DS e PS Vita. O resultado final é um jogo que pouco usa as forças do PlayStation 4 e Xbox One, além de rodar a 1080p.

Foi confirmado que os portáteis rodam com tecnologia diferente, feita da raiz pelo Engine Software. O Comcept claramente excedeu as suas capacidades ao suportar tantos formatos, e as versões para PS4 e Xbox One revelam vários problemas. Temos aqui uma lista dos principais - que esperamos ver corrigidos.

As versões para PS4 e Xbox One são comparadas. As diferenças no frame, brilho, reflexos, e filtro de texturas são abordadas aqui.

O PS4 tem problemas de performance: Apesar de rodar a 60fps por longos períodos, o PS4 não aguenta o frame sempre. O jogo trepida sempre que investimos sobre um novo inimigo, criando algo perceptível ao movimentar da esquerda para a direita. Quedas para 45fps acontecem no segundo nível, devido aos efeitos de transparência alpha.

Mas são os reflexos em tempo real que mais afetam os frames no PS4. É um efeito usado no nível Water Works Bureau, causando um bloqueio a 40fps enquanto estiverem visíveis. Uma contra-partida da v-sync de duplo buffer usada no PS4, significando que salta entre 40fps fixos e 60fps - normalmente ficariam no meio disso. Ficamos com trepidação constante mas sem screen-tear.

O Xbox One tem os seus problemas de performance: O console da Microsoft aborda a performance de forma diferente. Existe v-sync adaptável que permite frames superiores, mas sofre com pesado screen-tearing quando desce dos 60fps, os frames são gerados num estado incompleto. O jogo pode manter o frame por muito tempo, mas qualquer queda significa frames cortados pela metade.

O resultado final pode ser horrível. Um dos níveis mais avançados esforça o console e o jogo roda a constantes 40fps, com tearing sempre presente. A camada extra de chuva é provavelmente a culpada pelo impacto na performance, e o PS4 fica mais perto dos 60fps. Mesmo com as quedas súbitas, o PS4 tem vantagem neste nível, enquanto em outros é o oposto.

PlayStation 4Xbox One

There's no escaping the issue of Mighty No. 9's rather plain visuals. Displayed at a native 1080p here, it's a disappointing turnout on PlayStation 4 and Xbox One.

PlayStation 4Xbox One

PS4 offers bloom effects in this icy level that are missing on Xbox One. Changing the in-game toggle for bloom doesn't fix the issue.

PlayStation 4Xbox One

Geometry, effects and textures are identical between the two current-gen machines - the only difference being the drop in texture filtering quality on PS4. Note the blurrier delivery across the floor, compared to Xbox One.

PlayStation 4Xbox One

Another shot to illustrate the divide in texture filtering. At this 2.5D angle, all ground texture details (below Mighty No. 9's feet) are obscured on PS4 due to the use of weaker trilinear filtering.

PlayStation 4Xbox One

Geometry is the same between formats, and the delivery at 1080p at least provides a crisp image on both.

PlayStation 4Xbox One

With all other points being equal between the two, gamma on Xbox One is visibly lighter on its default setting, though this can be changed with the in-game slider.

PlayStation 4Xbox One

An extra shot to show the bloom difference, once again missing on Xbox One.

PlayStation 4Xbox One

Anti-aliasing is missing from both versions of the game, made all the more visible when shifting to more dramatic camera angles in cut-scenes.

A opção da v-sync não funciona: Existe uma opção para a v-sync que promete escolher duas alternativas mas não funciona em nenhum destes consoles, não afetando a presença ou ausência de v-sync. Seja qual for a sua escolha, o jogo não leva em consideração.

O brilho na iluminação está desligado no Xbox One: Além disto, o Xbox One não te um efeito presente no PS4. Os pilares de gelo no nível Water Works Bureau apresenta um efeito de brilho no PS4, enquanto está desativado no Xbox One. O efeito é agressivo no PS4 e pode não agradar a todos, mas a opção de o escolher devia estar presente.

Reflexos em tempo real não funcionam no Xbox One: Existe um problema com os reflexos, fazendo com que este elemento rode a 45fps. Significa que os reflexos dos personagens, fundos, e até balas perdem a sincronização com a ação, e a imagem espelhada fica sempre para trás do gameplay a 60fps. É horrível de ver em movimento. No PS4 não parece ser um problema.

A performance no PS4, onde falamos dos problemas em torno da sua v-sync de duplo buffer.

O PS4 usa um filtro de texturas mais fraco: Tal como outros jogos nesta geração, o filtro de texturas é de qualidade muito superior no Xbox One. No caso de Mighty No 9, faz uma grande diferença na forma como as texturas surgem na tela, devido a maneira como as superfícies são apresentadas num ângulo 2.5D. Vai ao encontro de outros jogos UE3 nos atuais consoles, onde o PS4 trata todos os detalhes no chão com uma técnica trilinear de menor qualidade. Não fica bem no ângulo de câmara normal, e o Xbox One se beneficia muito com o uso do filtro anisotrópico.

Depois de vários atrasos, Mighty No. 9 encara a dura realidade. É um esqueleto de um verdadeiro sucessor de Mega Man, com um conceito sólido e uma boa trilha sonora. Infelizmente, é afetado por frames com problemas, efeitos visuais ausentes, e opções de menu que não funcionam. Esperamos que uma atualização corrija estes problemas, pelo menos como reconhecimento aos que apoiaram o financiamento no Kickstarter, mas é espantoso que os erros e problemas tenham passado despercebidos.

Iremos falar sobre as versões para Wii U e PC mais tarde - no PC o jogo deverá estar na sua melhor forma. A experiência no Wii U foi especialmente preocupante, com frames ainda piores que os do PS4 e Xbox One. Teremos mais novidades em breve.

Comentários (5)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela sua contribuição!

  • Carregando...