Brasilgamer.com.br

Gears of War 4 - Análise

JD Fenix e seus amigos dão continuidade ao legado de Marcus Fenix.

A série Gears of War mostra que continua em boa forma e não poderia estar em melhores mãos. O The Coalition fez um trabalho incrível.

A série Gears of War é um grande marco da Microsoft e uma transição neste momento foi fundamental para o futuro da série. Sendo assim, Gears of War 4 é a primeira seção projetada especificamente para o Xbox One. O jogo marca o início de uma nova saga de uma das franquias mais famosas entre os games, com a ascensão de um novo herói para encarar uma nova ameaça. Voltando às raízes intensas e obscuras do título original, a Microsoft quer entregar aos fãs um título com cenas de ação brutais, uma campanha de tirar o fôlego, um multiplayer que desafia as definições de gênero e um visual moderno criado com o Unreal Engine 4.

Essa foi a base definida pela Microsoft e entregue às mãos do estúdio The Coalition, dirigido pelo veterano Rod Fergusson, com a difícil tarefa de reviver a série na nova geração de consoles sem descontentar a base de fãs que aguardam ansiosamente pelo retorno de Gears. O primeiro ponto levado em consideração pelo estúdio é que a Epic Games não deixou muito espaço para uma continuação e até mesmo um prólogo esteve nos planos da equipe. No entanto, a The Coalition optou por trazer novos protagonistas (JDFenix, Kait e Del) que irão assumir e dar continuidade ao legado de Marcus Fenix.

Gears 4 acontece 25 anos após Gears of War 3. Desde então, muita coisa mudou. As pessoas recorrem a novas formas de energia e uma grande parte da população vive em assentamentos que são controlados pelo novo governo KOR. No entanto, existem pessoas que vivem fora desses assentamentos e entre eles estão também JD, filho de Marcus Fenix, Kait e Del. Após o prólogo do jogo, que retorna novamente para seções curtas na guerra contra o Locust, tudo começa com os três juntos tentando descobrir uma série de desaparecimentos misteriosos.

"As tempestades podem causar uma grande devastação. Embora não ocorram aleatoriamente, mas em seções predeterminadas, tem um impacto significativo sobre o jogo."

A campanha no geral oferece muita ação e se desenrola em um ritmo acelerado, como seria de esperar na série. Momentos menos frenéticos são sempre intercalados na campanha antes de voltarmos a encarar nossos inimigos. Os desenvolvedores sabem muito bem que este jogo funciona assim e, consequentemente, optaram em manter esse sistema intacto. A vantagem para os veteranos é que irão imediatamente se sentir em casa. Ou seja, Gears 4 continua oferecendo execuções simples, perfeitas e sem erro, mantendo do início ao fim uma grande experiência de jogo. A jogabilidade também se mantém praticamente inalterada, no entanto, alguns adversários oferecem táticas diferentes de ataque, oferecendo um toque de inovação na franquia.

Inicialmente você não terá problemas, mas quando encontrar diferentes tipos de inimigos, você vai ter que repensar suas estratégias e sua posição, em especial, para os níveis mais elevados de dificuldade ou até mesmo em modo co-op. Assim, de cobertura em cobertura, vamos em frente e devo admitir que isso nunca fica chato.

Outra inovação são as tempestades que podem causar uma grande devastação. Embora não ocorram aleatoriamente, mas em seções predeterminadas, tem um impacto significativo sobre o jogo. Em meio à tempestade suas granadas podem não ser muito eficazes. Então, novamente, você precisa explorar o ambiente para usufruir dele em seu favor. Atirar em um suporte de madeira até que ele se divida em numerosas partes, tentar remover tubos metálicos de grandes dimensões para serem transportados pelo vento e, claro, sobre os seus adversários são alguns bons exemplos. Vale lembrar que durante uma tempestade, devemos evitar descargas elétricas no solo, para não sermos literalmente fritos.

Mais sobre Gears of War 4

"Os níveis apertados acompanhados de uma história bem elaborada permitiram que os desenvolvedores pudessem espremer ao máximo o Unreal Engine 4."

Posso dizer que a campanha nos coloca em uma montanha-russa. Há alguns momentos emocionantes e momentos que você nem sequer vai lembrar. Além disso, os novos personagens parecem simpáticos e em perfeita harmonia. Você vai sofrer e se alegrar com eles. Da mesma forma, há uma reunião com velhos conhecidos que irão colocar um sorriso em seu rosto e garantir que nem tudo aqui seja novo e estranho.

As armas, como nos jogos anteriores, continuam mantendo sua própria personalidade. Novas armas estão presentes e oferecem uma pitada de renovação, no entanto, eu não dispenso a oportunidade de levar sempre comigo a tradicional Lancer - o som da motosserra é música para meus ouvidos.

Graficamente o jogo apresenta cenários bem nítidos. Os níveis apertados acompanhados de uma história bem elaborada permitiram que os desenvolvedores pudessem espremer ao máximo o Unreal Engine 4. O sistema de colisão e as animações parecem um pouco desatualizados, mas eu apreciei a tentativa do estúdio em introduzir alguns elementos destrutíveis dentro do cenário. Os mapas multiplayer, no entanto, são muito clássicos, tanto no estilo, como nas cores, apresentando algo menos impactante.

"Gears of War 4 não podia estar em melhores mãos."

A trilha sonora cumpre bem seu papel, deixando as cenas de ação mais tensas e ainda mais frenéticas. O jogo oferece dublagem em português e como já vimos em títulos anteriores da série, como Gears of War: Ultimate Edition, por exemplo, aqui também temos um trabalho bem feito que vai agradar os fãs brasileiros.

Para os mais dedicados Gears 4 oferece também um multiplayer muito robusto com novas adições que são divertidas. Para iniciar temos dez mapas disponíveis, onde cada mês deve ser adicionado um mapa novo - ou até mesmo uma remasterização de um mapa antigo. O modo Horde continua sendo um dos mais divertidos na série, onde até cinco jogadores podem participar e sobreviver a hordas de inimigos. Com o lançamento oficial do jogo iremos explorar mais o multiplayer e trazer novidades sobre o tema em breve.

Muitos ficaram com a pulga atrás da orelha quando a Microsoft entregou a franquia nas mãos do estúdio The Coalition, eu mesmo fui um deles, mas devo dizer que não podia estar em melhores mãos. O estúdio fez um trabalho incrível e manteve a identidade da franquia que atinge milhões e milhões de fãs. O beta deixou claro qual era a ideia do estúdio e a versão completa do jogo dizimou todas as minhas dúvidas sobre esse, que estará com certeza, entre os melhores jogos do ano.

Gears of War 4 - Análise Christian Donizete JD Fenix e seus amigos dão continuidade ao legado de Marcus Fenix. 2016-10-11T09:00:00-03:00 5 5

Comentários (31)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela sua contribuição!

  • Carregando...