Brasilgamer.com.br

F1 2016 - Análise

Melhor que F1 2015, mas ainda não é o jogo que esperávamos.

F1 2016 acelera no PC, PS4 e Xbox One e nitidamente deixa claro, desde o início, que trata-se de uma atualização, ou melhor dizendo, uma reciclagem de de F1 2015 com a adição de novos circuitos e um modo carreira reformulado. Mas será que essas novas adições são suficientes para agradar os fãs de velocidade? Vamos descobrir.

Através do menu principal você pode escolher a forma de lidar com o jogo, seja com uma corrida rápida, um campeonato completo padrão ou PRO (com nível máximo de dificuldade e ajuda desativada) e os treinos de tempo clássicos com voltas rápidas em diversos circuitos, onde você tem que lidar com um fantasma para bater seu melhor tempo. O multiplayer é praticamente uma cópia do que vimos no ano passado, onde a grande sacada é que 22 jogadores podem competir online. Dessa forma é possível formar uma grade completa através dos 21 circuitos do Campeonato mundial, incluindo o circuito de Baku, a mais recente adição ao calendário.

No Modo Carreira, os jogadores escolhem seus personagens, capacetes e números de piloto que usarão durante sua temporada na F1. Então escolhem em qual das 11 equipes oficiais desejam começar sua jornada, assim como qual membro da equipe será seu parceiro, antes de entrar nas pistas para a primeira corrida da temporada. As equipes com as melhores classificações serão as mais desafiadoras para os jogadores. Estratégias de corrida também são necessárias para enfrentar seus adversários. No Pit Stop, é possível escolher controlar o carro na entrada dos Pits, que significa um desafio extra ao frear no momento certo para evitar a perda de tempo, mas também evitar acelerar muito para não sofrer uma penalidade.

"O sistema de dano foi ligeiramente melhorado, no entanto, não conduz os desgastes dos pneus como no passado."

Ao longo da Carreira, os jogadores podem decidir como irão melhorar seu carro através de consultas com seu Engenheiro de Pesquisa e Desenvolvimento e ao completarem tarefas durante as sessões de Treino. Eles também podem melhorar sua equipe no decorrer da temporada para transformá-la em uma das concorrentes ao título ou até negociar com seus Empresários para tentar a sorte em outras equipes e assim seguir caminho até o topo do pódio.

Para ajudar a influenciar as corridas, nossa condução pode ser alterada pelo tempo e, sobretudo, a velocidade dos nossos adversários. O nível de desempenho das várias equipes é real: começamos nossa jornada em uma equipe de segunda categoria e foi preciso muita dedicação para alcançar equipes de topo. Devo destacar que o modo carreira é realmente um ponto positivo em F1 2016 e muito bem estruturado. Posso dizer que temos aqui um bom incentivo para os jogadores mais dedicados.

O sistema de dano foi ligeiramente melhorado, no entanto, não conduz os desgastes dos pneus como no passado. Os impactos entre os carros liberam peças da carroçaria pelo caminho e geram apenas uma função estética, ou seja, não atrapalha seu desempenho. Embora seja puramente estético também, mas digno de nota é o modelo de iluminação dinâmica durante os tempos de treino: você pode determinar o tempo de início dos testes e a qualificação durante o início da manhã ou ao entardecer.

Mais sobre F1 2016

O sistema de frenagem é perfeitamente reproduzido e muito mais eficiente quando utilizamos auxílio durante as corridas. Desligá-lo completamente torna o carro exageradamente difícil de controlar e praticamente impossível de competir com a IA em níveis mais elevados de dificuldade.

Quem jogou F1 2015 sabe que o jogo teve suas falhas, e parece que algumas delas são crônicas e estão presentes também em F1 2016. São falhas que impedem que o jogo seja uma compra obrigatória para aqueles que buscam por um alto nível de simulação dedicado a licença da F1. Algumas preocupações estão no modo de condução, que sem nenhum tipo de ajuda deixa qualquer um mais frustrado do que empolgado, algo que depois de Dirt Rally, esperávamos algo mais da equipe da Codemasters, especialmente nesse sentido. Analisamos o jogo apenas com o joypad, que não deixa de ser divertido e, mais acessível a todos. Infelizmente não tivemos a oportunidade de utilizar um volante para verificar como o jogo se comporta com o force feedback.

No geral F1 2016 é uma evolução em comparação com a decepção de um ano atrás, mas ainda não é o jogo de corrida de F1 que muitos esperavam. O retorno do modo carreira é agradável e vai exigir muito do jogador para tomar decisões que podem mudar sua trajetória nas corridas, como por exemplo, a escolha dos pneus que utilizará durante os treinos e também durante a corrida. Depois de quase trinta horas de jogo não descobrimos particularmente nenhum erro grave, e a impressão é que F1 2016 está melhor que F1 2015.

O modelo de condução continua sendo um dos principais problemas desta versão, que com alguns reparos pode se tornar em um jogo definitivo de F1. A esperança é que a Codemasters realmente assuma esse compromisso como fez com Dirt Rally e nos entregue no futuro um jogo digno para satisfazer as expectativas de todos os fãs de automobilismo.

F1 2016 - Análise Rodrigo Spinetti Melhor que F1 2015, mas ainda não é o jogo que esperávamos. 2016-08-29T21:58:00-03:00 4 5

Comentários (5)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela sua contribuição!

  • Carregando...