Brasilgamer.com.br

The Witcher 3: Wild Hunt - Análise

CD Projekt Red nos entrega seu ambicioso projeto.

The Witcher 3 não está livre de erros, mas no geral é um jogo impressionante, que deve fazer parte de sua coleção.

The Witcher 3 foi um jogo que sofreu alguns adiamentos para que seu desenvolvimento não oferecesse nenhum tipo de frustração ao jogador, principalmente em seu lançamento. Um projeto ambicioso criado pelos experientes desenvolvedores da CD Projekt Red, que além de entregarem uma obra prima, mostraram total respeito a quem realmente importa... o jogador.

Em primeiro lugar temos aqui uma equipe com o desejo genuíno de criar algo realmente memorável que fica evidente com a difícil decisão de oferecer uma mecânica de mundo aberto. Uma atenção impressionante aos detalhes, onde a produtora não hesitou em adiar o lançamento do jogo para entregar a melhor experiência possível. Temos então um jogo livre de erros? Um jogo perfeito? Não, mas os pequenos problemas encontrados durante nossos testes não afetaram de forma alguma nossa experiência. Estamos cientes de que algumas atualizações serão necessárias, mas nada que seja realmente comparável com o desastre de Assassin's Creed Unity.

O nível de dificuldade, por exemplo, está mais fácil do que temos acompanhado em jogos anteriores. Algo que é o oposto de Dark Souls. Enquanto o título da From Software oferece o melhor de si através de um sistema de combate, impecavelmente equilibrado e honesto, mas sempre cruel, em Wild Hunt tudo parece ser mais caótico, mais parecido com a brigas de taverna em batalhas entre espadachins e criaturas demoníacas.

No entanto, The Witcher 3 é um desses jogos que são difíceis de analisar, isso porque você pode passar facilmente meses explorando o jogo e continuar encontrando detalhes que tornam o jogo ainda mais rico e surpreendente. Isso quer dizer que estamos perante um jogo que deve ser explorado com calma e muita dedicação. É realmente um jogo notável. Problemas a parte, se você estiver procurando por um grande jogo, cheio de ideias, e com uma narrativa impecável, você absolutamente não pode perder The Witcher 3.

The Witcher 3: Wild Hunt - Trailer do Gameplay em português

A qualidade do trabalho realizado pela CD Projekt é inigualável em termos de cuidados de diálogos, caracterização e atenção a cada detalhe. Mesmo após completar a missão principal extremamente rica e envolvente, The Witcher 3 oferece muitas missões secundárias tratadas da mesma forma, que muitas vezes conseguem ser ainda mais emocionantes que seus objetivos primários. O jogo não força em momento algum a realização desses objetivos secundários, mas para os jogadores mais dedicados é um prato cheio para mergulhar completamente dentro da história.

Dessa forma, como em um bom RPG, conversa após conversa, o jogador entra cada vez mais em sintonia com Geralt e os outros personagens da história, a ponto de querer desempenhar seu papel da mesma forma que faria com qualquer outro RPG tradicional. Daí a viagem torna-se rapidamente cada vez mais desejável, seja dentro das cidades, bares ou de qualquer outro local.

Você vai querer simplesmente vagar ao redor do mapa, correr em uma busca inesperada apenas para admirar uma das muitas vistas deslumbrantes oferecidas por um mundo em completa mudança que oferece: ciclo dia-noite, condições meteorológicas dinâmicas, rajadas de vento repentina que agitam as árvores, bandos de pássaros sobrevoando o céu, a vida na floresta entre veados, coelhos e outras criaturas, a confusão urbana em cidades maiores, músicos, acrobatas, prostitutas, pregadores, lutas de classes e até mesmo discriminação racial. Ao contrário de Assassin's Creed Unity, The Witcher 3 é tão rico em conteúdo que você dificilmente vai sofrer com as questões técnicas existentes.

“Os confrontos com animais mais ferozes exigem a preparação correta, onde devemos ingerir poções e escolher o equipamento mais adequado.”

Esta enorme quantidade de conteúdo de qualidade se torna ainda mais interessante pelas inúmeras escolhas morais que Geralt enfrenta missão após missão. Muitas das missões nos levam a sérias consequências, tanto para os personagens como para o próprio mundo do jogo. O que às vezes pode parecer a melhor escolha em um curto prazo pode levar a consequências desastrosas mais adiante, afetando áreas inteiras do mapa e perturbando a vida de alguns personagens. Até mesmo salvar um grupo de crianças pode levar a consequências trágicas.

Graficamente o jogo é impressionante. O mundo vivo de The Witcher 3 é louvável, especialmente considerando a ausência quase total de telas de carregamento. Os únicos momentos em que o jogo para de carregar novos dados são relacionados as viagens rápidas e com aqueles jogadores que encontram a morte. Nestes casos pode demorar até 40/50 segundos de espera. As expressões faciais são coerentes e oferecem uma imersão total no jogo. O mesmo pode ser dito da trilha sonora e da excelente dublagem em português que torna o jogo ainda mais impressionante.

Dito isto, podemos concluir que The Witcher 3 é um jogo sensacional. Não está livre de erros, mas seus erros não causam um desastre para a experiência. Temos em mãos um enorme jogo de mundo aberto que vai distrair os jogadores por muito tempo. O sistema de combate é limitado e a IA certamente precisa ser revista em alguns pontos, mas no geral The Witcher 3 é um jogo que vai certamente agradar, seja você um novato ou um veterano na série. Um jogo obrigatório na sua coleção.

The Witcher 3: Wild Hunt - Análise Christian Donizete CD Projekt Red nos entrega seu ambicioso projeto. 2015-05-19T08:00:00-03:00 5 5

Comentários (13)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela sua contribuição!

  • Carregando...