Brasilgamer.com.br

Dragon Age: Inquisition - Análise

Pela primeira vez na série quatro jogadores poderão se juntar em diversas missões.

Dragon Age: Inquisition quer elevar tudo que já conhecemos em jogos de RPG para um território muito maior e mais ambicioso, povoado por inúmeros combates, perigos e vários tipos de ameaças encontradas em Thedas. Após três anos em produção e nas mãos da BioWare esse é o principal objetivo no qual a desenvolvedora trabalhou e agora com o jogo em mãos é hora de saber se todo esse empenho valeu a pena.

A história ocorre após o massacre durante o Conselho, em uma reunião em que eles estavam tentando reparar a violação que aconteceu entre Magos e Templários. Dessa forma, os eventos começam imediatamente após o fim de Dragon Age II, só que as coisas não saem exatamente como o planejado.

O enredo gira em torno de um evento cataclísmico que causou desordem na terra de Thedas. Os dragões agora escurecem o céu e lançam uma sombra aterrorizante sobre um reino outrora pacífico. Os magos declararam guerra contra os templários opressores. Nações se enfrentam. Cabe aos jogadores restaurarem a ordem enquanto lideram a Inquisição e perseguem os agentes do caos. As escolhas afetarão a Era dos Dragões para sempre - e passam a valer a partir do momento em que o jogador define quem será o Inquisidor, podendo escolher entre um homem ou uma mulher.

Os desenvolvedores definitivamente criaram um universo vasto, variado e complexo, com um enredo envolvente, bem escrito, e até mesmo de longa duração, mas todos eles amarrados com o passado da série. Depois de alguns minutos você vai encontrar Varric, mas as surpresas não param por aqui, já que progressivamente encontramos muitos rostos conhecidos e lugares familiares. Tudo isso faz com que a história envolva os jogadores nos oferecendo uma escala de acontecimentos interessantes e até surpreendentes.

A principal mudança em Dragon Age: Inquisition está relacionada a dimensão do jogo. O título deixa de ser limitado e podemos explorar todo o continente. A Bioware dividiu o jogo em duas partes distintas, onde em cada uma delas iremos encontrar inúmeras tarefas, além das missões que devemos completar. Basta apenas se dedicar ao caminho que deseja seguir e acabar com todos os inimigos que encontrar pelo caminho.

O sistema de combate é bem parecido com o segundo capítulo, no entanto é mais equilibrado. O grau de dificuldade elevado pode gerar conflitos desafiadores. Dessa forma, magias que podem restaurar sua vitalidade e também de seus aliados devem estar sempre presentes na manga. Quando estiver sem esse tipo magia é aconselhável adquirir o mais rápido possível. Elas poderão sempre ser encontradas no acampamento base ou em caixas espalhadas pelo caminho.

Dragon Age - Inquisition - Trailer revela dicas e truques

Isso também faz com que os jogadores elaborem a melhor forma de gerenciar o grupo e evitar o combate inimigo. Os magos, por exemplos, devem se preocupar em proteger seus amigos eliminando ataques inimigos e também causando danos. Enquanto isso, guerreiros e arqueiros ficam concentrados apenas nos ataques. A melhor maneira para isso fluir bem é se concentrar em um membro do grupo para realizar uma tarefa específica, ou seja, aquela tarefa que é prioridade naquele momento. Para isso Bioware permite que o jogador possa congelar a batalha para dar instruções ao grupo. Uma opção que pode ser utilizada caso você não queira perder nenhum momento do combate.

Em ambientes abertos tudo funciona bem. Ambientes fechados prejudicam um pouco o sistema de câmeras e pode causar certa frustração quando temos inúmeros inimigos presentes. O menu de gerenciamento de inventário também demonstra problemas na versão para consoles, onde tudo é bem mais simples no PC, graças aos atalhos e um maior número de teclas onde você pode acessar diretamente a seção desejada. No console, você vai ter que navegar por várias informações, mal organizadas e mal adaptadas para o controle. O problema fica mais evidente quando é necessário checar vários objetos diferentes, incluindo itens de melhoria para personalização, armas, armaduras e poções.

Dragon Age: Inquisition oferece uma grande quantidade de missões secretas e portais que devem ser fechados, todos disponíveis dentro do mundo de Thedas. A variedade de missões é bem ampla e vão desde a coleta de alimentos para os habitantes da cidade como a simples busca por pistas que estão espalhadas por todo o mapa. No início você pode ficar um pouco perdido com tantas possibilidades, mas aos poucos você vai pegando o jeito e vai descobrir a melhor maneira de dar continuidade a história.

O modo multiplayer cooperativo para quatro jogadores de Dragon Age: Inquisition, foi criado paralelamente com a ampla campanha single player, esta é a primeira vez em que os fãs poderão se reunir entre amigos para jogar um game da franquia Dragon Age juntos. A opção multiplayer oferece quests cooperativas cheias de ação que acontecem à parte da história principal de Inquisition.

Neste inédito modo multiplayer do RPG, quatro jogadores poderão se juntar em diversas missões, explorando calabouços perigosos e exterminando todos os adversários que cruzarem seus caminhos. No multi não jogamos com o personagem principal, mas um dos seus servos, a ser escolhido entre uma lista de nove personagens distintos iniciais, cada um pertencente a uma das três classes disponíveis (mago, guerreiro e arqueiro.)

Enquanto avançam em equipe, os jogadores também podem coletar diversos itens, equipar novas armas e armaduras e até destravar outros personagens. O jogo permite que até 12 novos personagens sejam liberados entre as três classes presentes, cada qual exercendo funções estratégicas distintas nos combates.

Dragon Age: Inquisition Trailer A Brecha

Os gráficos oferecem um visual lindo, mas Dragon Age: Inquisition não está livre de pequenos problemas. Algumas animações são menos detalhadas e observamos penetrações poligonais em determinados momentos. No geral temos um ambiente agradável e isso não atrapalha a experiência, mas o grande destaque vai para os cenários que são extremamente ricos e grandiosos. Observar gigantes e dragões lutando ao fundo é simplesmente fantástico.

Podemos concluir dizendo que a Bioware nos entregou um RPG renovado com uma narração encorpada, que pela primeira vez na série chega com menus e legendas em português. O sistema de combate é muito bom e vai agradar aos fãs do gênero. Apesar de um menu um pouco confuso nos consoles e pequenos deslizes gráficos, Dragon Age: Inquisition cumpre o seu papel e oferece uma experiência divertida e também recomendada. Além disso, o modo multiplayer garante longevidade após a conclusão da campanha principal.

8 / 10

Dragon Age: Inquisition - Análise Christian Donizete Pela primeira vez na série quatro jogadores poderão se juntar em diversas missões. 2014-11-18T08:00:00-02:00 8 10

Comentários (19)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela sua contribuição!

  • Carregando...