Brasilgamer.com.br

F1 2014 - Análise

Com 5 anos de experiência é hora de descobrir como a Codemasters se saiu nessa nova temporada.

F1 2014 provavelmente seja a última aposta da Codemasters para a antiga geração. O jogo chega em versões para PC, PS3 e Xbox 360, onde apenas em 2015 irá acelerar no PS4 e Xbox One. No entanto, muita coisa mudou no campeonato e o jogo também prometeu incorporar todas as alterações, incluindo novas regulamentações na aerodinâmica e motores turbinados. Com 5 anos de experiência no desenvolvimento de jogos licenciados da F1 é hora de descobrir como a Codemasters se saiu nessa nova temporada.

Todas as equipes - com exceção de dois times - mudaram o line up de seus pilotos e novos circuitos foram adicionados ao campeonato. Como exemplo podemos citar o belíssimo autódromo de Sochi e o retorno do circuito de Spielberg, na Áustria.

A jogabilidade mudou muito pouco. Temos os tradicionais modos de corrida rápida, o modo carreira e um modo multiplayer para até 16 jogadores ou dois jogadores em tela dividida. O teste para novos pilotos foi finalmente abolido em favor de uma sessão de corrida em Monza, que é projetada para avaliar a habilidade do jogador e sugerir o nível de dificuldade ideal para ser razoavelmente competitivo, ativando ou desativando o sistema de ajuda.

Novidades ficam mesmo por conta da introdução de turbos aos carros este ano, que aumentou as oportunidades de ultrapassagem e as exigências impostas aos pilotos, conforme altos valores de torque são produzidos durante a aceleração. Também temos a estreia do ERS. Com uma capacidade dez vezes superior ao sistema KERS da última temporada, o ERS oferece agora 162 CV para cerca de 33 segundos, potência que é entregue aos pilotos instantaneamente, abrindo mais espaço para ultrapassagens rápidas.

Mais sobre F1 2014

Em termos de simulação dos motores híbridos, encontramos algumas falhas na gestão de recuperação de energia, porém notamos que o jogo recebeu mais atenção ao modelo de condução. Está mantido a necessidade de gerir cuidadosamente o acelerador para não rodar ou fazer asneiras na próxima curva. Ainda não é convincente, mas pelo menos o comportamento do carro é mais do que aceitável. Os pneus também tendem a se desgastar, mas é evidente em muitas situações, a perda de tração, algo que nossos adversários parecem ser completamente imunes.

O aumento na dificuldade de dirigir sem o auxílio é certamente bem-vinda, pois aproxima o jogo para um conceito de simulação, mas introduz alguns efeitos colaterais que afetam a jogabilidade durante as provas, em particular, o já citado controle de tração. Conduzir em um asfalto molhado sem nenhum tipo de ajuda torna-se praticamente impossível de ser competitivo e o mesmo acontece, em menor proporção, em pista seca. Nossos adversários nunca sofrem com esse problema e é muito frustrante quando isso acontece. Em outras palavras somos penalizados em relação ao desempenho da IA, onde tudo fica mais difícil com o aumento dos desgastes dos pneus.

F1 2014 - Trailer de lançamento

O sistema de danos não evoluiu nada e continua muito simples. Em uma batida apenas perdemos rodas, spoilers, suspensões e pouco mais que isso. O melhor elemento do jogo é a inteligência artificial, onde altos níveis de dificuldade são realmente difíceis de superar. Notamos que os adversários são agressivos no ataque e prudente para evitar o contato, mesmo quando o jogador humano faz alguma barbeiragem. Se nossos oponentes também sofressem erros perante ao desgaste dos pneus, tudo seria mais justo. Jogar com um volante também é uma ótima recomendação, onde o force feedback, funciona muito bem.

Perante essa situação podemos dizer que F1 2014 foi uma oportunidade desperdiçada pela Codemasters? Talvez, se levarmos em conta que a equipe já deve estar ocupada com a versão para a nova geração. O fato é que fica extremamente nítido que apesar das inovações técnicas presentes nesta temporada, como os motores híbridos, por exemplo, temos em mãos um jogo que oferece uma mecânica praticamente re-aproveitada da versão anterior.

Isso inclui alguns problemas que migram para essa nova versão. Talvez isso aconteça por escolha da própria equipe ou talvez pela limitação da antiga geração. Isso nunca vamos descobrir. A verdade é que um novo capítulo será escrito no início de 2015 com um titulo para o PS4 e Xbox One e temos que ter esperança que as coisas irão melhorar, e muito, daqui pra frente.

6 / 10

F1 2014 - Análise Rodrigo Spinetti Com 5 anos de experiência é hora de descobrir como a Codemasters se saiu nessa nova temporada. 2014-10-17T09:00:00-03:00 6 10

Comentários (8)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela sua contribuição!

  • Carregando...