Brasilgamer.com.br

Tales of Xillia 2 - Análise

Vamos encarar uma nova aventura na pele de Ludger Kresnik.

Tales of Xillia 2 foca-se nos eventos que ocorrem um anos depois do fim de Tales of Xillia. Os jogadores assumem o papel de Ludger Kresnik, um jovem homem que tem gosto pela culinária e vive com seu irmão mais velho e um gato chamado Rollo. No caminho para o seu primeiro dia de trabalho em uma cafeteria local, ele encontra uma garota chamada Elle Marta e os dois acabam se envolvendo em um acidente que irá mudar a vida de ambos para sempre.

O desenrolar da história de Tales of Xillia 2 é baseado no conceito de "escolha", que também é expressado fortemente nas mecânicas de jogo. Durante a jornada de Ludger, os jogadores poderão decidir como ele irá reagir a outros personagens e situações. Essas escolhas podem fazer com que a história tome caminhos diferentes e também afetam o relacionamento com os integrantes do grupo.

As escolhas também fazem parte do sistema de batalha de Tales of Xillia 2, melhorando ainda mais o conceituado de gameplay da série Tales of. Os jogadores poderão ativar a "Troca de Armas" em tempo real durante os combates, enquanto controlam Ludger, permitindo que o personagem faça trocas entre três armas principais: duas espadas, uma marreta ou duas pistolas. Isso permite movimentos estratégicos mais rápidos enquanto ele corre pelo campo de batalha.

Vale lembrar que aqui o jogador, em mais de uma ocasião, terá uma forte sensação de déjà vu, graças à constante reciclagem de elementos antigos que a equipe de desenvolvimento não hesitou em recorrer.

Mais sobre Tales of Xillia 2

Muitos dos ambientes que exploramos são os mesmos que os observados no primeiro Tales of Xillia, deixando evidentemente claro, que, como um pouco mais de trabalho poderia ter feito a diferença, só para dar aos jogadores a oportunidade de admirar alguma mudança em relação ao que vimos no passado.

PlayStation 4 Pro - Análise

O mesmo acontece com o inimigo, na maioria dos casos semelhantes aos que já vimos milhares de vezes no primeiro Xillia. Felizmente, temos um novo sistema de combate. Um sistema de ataque em cruz que dará aos jogadores a possibilidade de escolher qualquer outro personagem na batalha para servir como suporte e executar ataques em dupla contra os inimigos. Cada membro do grupo tem suas próprias características e podem produzir ataques diferentes, permitindo que os jogadores possam decidir estrategicamente quais personagens atuarão em conjunto, dependendo da situação.

Do ponto de vista narrativo encontramos um enredo mais adulto em Tales of Xillia 2. Um enredo mais envolvente e bem escrito, mas no geral há uma coisa que não somos capazes de entender: a necessidade de missões de exploração no final de cada capítulo antes de realmente prosseguir com a aventura.

Um novo vídeo para Tales of Xillia 2

Isso acontece porque depois de algumas horas de jogo, Ludger encontra-se involuntariamente em dívida com o banco e, portanto, suas opções de viagens são limitadas. Por esta razão, sempre que ele precisa avançar para o próximo destino, o protagonista é forçado a levantar o dinheiro suficiente para pagar uma parcela do empréstimo.

Honestamente é uma escolha questionável, que literalmente quebra o ritmo de jogo, nos forçando a encarar dezenas de side quests desnecessárias, que na maioria dos casos exigem que você encontre objetos particulares ou elimine certos adversários. A boa notícia é que essas missões secundárias são relacionadas com vários personagens e são úteis para descobrir novos detalhes sobre os heróis (respondendo a várias perguntas do primeiro Tales of Xillia) e consolidar a relação de Ludger com seus companheiros de viagem.

Na verdade, Tales of Xillia 2 poderia ser uma grande oportunidade de mostrar algo novo aos jogadores. O jogo faz isso, mas em pequenos detalhes como o sistema de combate, por exemplo. A ideia de forçar os jogadores a realizarem side quests desnecessárias também é um pouco chato. No entanto, podemos dizer então, apesar de todos os fatos, que Tales of Xillia 2 é um JRPG com todos os elementos do jogo anterior com uma longevidade de 60 horas, ou seja, se você é fã do gênero, esse é um título que não pode ficar de fora de sua coleção.

8 / 10

Tales of Xillia 2 - Análise Christian Donizete Vamos encarar uma nova aventura na pele de Ludger Kresnik. 2014-09-03T12:00:00-03:00 8 10

Comentários

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela sua contribuição!

  • Carregando...