Brasilgamer.com.br

Dance Central 3 - Análise

Afaste o sofá da sala e vamos dançar.

Dance Central 3 continua fazendo o que sempre fez de melhor e adiciona um modo história que leva o jogador ao passado.

Quando o primeiro jogo da série chegou com o Kinect foi praticamente uma revolução na maneira de se jogar em todos os sentidos, já que não se utilizava nenhum controle e tínhamos apenas que imitar os movimentos propostos pelo jogo para conseguirmos alcançar a perfeição, e realizar o maior número de pontos possíveis. Sem dúvida, isso se tornou uma febre para os donos do Xbox 360 que passaram a reunir a família e amigos para dançar em frente a TV.

Dance central 2 tinha que trazer alguma novidade, um novo apelo, e realmente trouxe, com a possibilidade de duas pessoas dançarem juntas ao mesmo tempo e disputarem batalhas de dança para ver quem era o melhor dançarino. Agora Dance Central 3 chega ao Xbox 360 e o que ele tem a oferecer para manter a longevidade dos jogadores? É isso que vamos descobrir.

05

Dance Central 3 continua fazendo o que sempre fez de melhor, e dessa vez traz diferenças sutis no gameplay - com exceção do SmartGlass que expande funções do Xbox 360 para tablets e smartphones permitindo que, enquanto um jogador esteja dançando o outro já possa selecionar a próxima música. E temos também um modo história que inova a série e transforma o jogador em um agente da DCI (Dance Central Intelligence) que deve viajar no tempo para resgatar outros membros da DCI e acabar com os planos do vilão do jogo de dominar a dança.

Vamos começar pelo modo história. Primeiramente devo lembrar que o jogo está localizado totalmente em português nos colocando na pele de um agente da DCI. Após isso somos enviados para os anos 70 e lá devemos aprender com outros dois agentes, que estão presos naquele tempo os passos da época para conseguir abrir a linha do tempo, leva-los de volta e rastrear o vilão até a próxima época. Depois disso, sucessivamente vamos até os anos 80, 90 até chegarmos ao tempo atual.

O sistema de gameplay continua o mesmo trazendo uma lista de músicas das mais antigas as mais atuais e com diversos tipos de passos inéditos. Durante o modo história as músicas trazem agora os “passos de poder”, que aparecem na lateral da tela na cor vermelha e se forem executados da forma correta se tornam verdes e são desbloqueados.

04

O modo de batalha continua sendo um dos destaques

Cada época do jogo traz quatro “passos de poder” diferentes distribuídos por cincos músicas relacionadas ao ano em que está competindo. Se esses passos não forem executados em qualquer que seja a música, você terá que dançar aquela música novamente para executar o “passo do poder” corretamente, só assim o jogador consegue liberar a música final que decifra a linha do tempo e traz você de volta a DCI.

Claro, que além dos passos de poder o jogador tem que conseguir o número de estrelas solicitado em cada época do jogo e decifrar a linha do tempo. Essa linha do tempo nada mais é que uma música “secreta” que faz com que você aprenda alguns passos antes de dançar a música. Quando apreender cerca de quatro passos diferentes você decifra 100% da linha do tempo e pode dançar a música para concluir essa etapa e iniciar a próxima época.

Entre as músicas presentes no jogo temos: Black Eyed Peas: Boom Boom Pow, Cali Swag District: Teach Me How to Dougie, Ciara ft. Missy Elliott: 1, 2 Step, Cobra Starship ft. Sabi: You Make Me Feel, Cupid: Cupid Shuffle, Daft Punk: Around The World, Dev ft. The Cataracts: Bass Down Low, E.U.: Da' Butt, Edward Maya e Vika Jigulina: Stereo Love, Enur ft. Natasja: Calabria 2008, Flo Rida ft. Sia: Wild Ones, Gloria Gaynor: I Will Survive, Heavy D e The Boyz: Now That We Found Love, J.J. Fad: Supersonic, Jennifer Lopez ft. Pitbull: On The Floor, Justin Bieber: Boyfriend e outras mais.

02

E além do modo história, temos outros modos de jogo que fazem à diversão da galera como o modo de dança e o modo batalha. Em ambos temos a disposição todas as músicas do jogo mais as músicas adquiridas por download em outros jogos da série. Alias é possível transferir todas as músicas de Dance central 1 e 2 para Dance Central 3 com o pagamento de 400 MP por jogo como também aconteceu em DC2.

No modo batalha até 8 jogadores podem realizar disputas entre si, vale lembrar que no máximo apenas dois de cada vez simultaneamente. Eu diria que o modo batalha é um dos modos mais interessantes, onde a disputa se torna pura diversão para definir quem será o melhor competidor.

Os gráficos de DC3 estão ligeiramente melhores que DC2, onde podemos notar expressões faciais mais realistas e integradas com a música e também roupas mais coloridas e detalhadas, caracterizando cada época do jogo. Os cenários também estão melhores e percebi que trazem menos público que DC2, isso é interessante e deixa o ambiente mais “clean” Já sobre a apresentação de DC3 não fiquei muito empolgado e em relação aos jogos anteriores, não é das melhores.

Os gráficos de DC3 estão ligeiramente melhores que DC2, onde podemos notar expressões faciais mais realistas e integradas com a música e também roupas mais coloridas e detalhadas, caracterizando cada época do jogo.

Vídeo de apresentação de Dance Central 3

Mantendo praticamente toda a mecânica de DC2, Dance Central 3 é um jogo que ainda consegue atrair o público que gosta de se mexer, seja com os amigos ou com a família e a adição do modo história deixa o jogo mais interessante. No entanto, em menos de três horas é possível terminar o jogo sem grandes pretensões para jogar novamente, a não ser, que você seja um daqueles jogadores que deseja desbloquear todos os trajes e cenários disponíveis.

Podemos dizer também que a Harmonix conseguiu gerar o apelo necessário para os fãs nessa nova versão e a possibilidade de comprar músicas adicionais aumenta ainda mais a longevidade de Dance Central 3.

8 / 10

Dance Central 3 - Análise Christian Donizete Afaste o sofá da sala e vamos dançar. 2012-11-06T15:17:00-02:00 8 10

Comentários (1)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela sua contribuição!

  • Carregando...